domingo, 25 de janeiro de 2009

BEATRIZ COSTA NA REVISTA «O MEXILHÃO»


Em 1929, Beatriz Costa alcança o seu primeiro grande sucesso, ao criar ao lado do actor Álvaro Pereira, o dueto D. Chica e Sr. Pires, na revista «Pó de Maio».
Depois ingressa numa companhia de revistas que explorava o Teatro Variedades, sendo a de maior sucesso a revista «O Cavaquinho» em 1930. É graças à sua popularidade que é convidada no ano seguinte, para ir a Paris para filmar ao lado do actor Estêvão Amarante a versão portuguesa do filme «Her Wedding Night», que em Portugal teve o titulo de «A Minha Noite de Núpcias».
É nesse mesmo ano que Beatriz Costa é consagrada como vedeta de revista, ao criar a figura de um gaiato que vende nas ruas de Lisboa o “Burrié”, na revista «O Mexilhão». A revista foi tal sucesso que se manteve oito meses em cena, com salas completamente esgotadas.

CONTINUA…

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

BEATRIZ COSTA - A ETERNA MENINA DA FRANJA



Beatriz da Conceição, de seu nome verdadeiro, nasceu em 1907 numa região saloia, passando por uma infância com bastantes privações. Estreia-se no teatro em 1923, como corista, na revista «Chá e Torradas». Rápidamente faz-se notar e integrada já numa companhia de pretigio, é convidada para ir ao Brasil numa digressão dessa companhia. Quando regressa a Portugal, já regressa como actriz, e estreia-se assim na revista «Ditosa Pátria» em 1925.Em 1927 surge na revista »Sete e Meio» com o corte de cabelo que a acabaria por popularizar, ficando assim para sempre conhecida como a menina da franja.

CONTINUA...

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

ANTÓNIO CALVÁRIO - 50 ANOS DE CARREIRA


Em 2000, depois de uma longa ausência dos palcos, António Calvário regressa aos estúdios e aos palcos com o CD "Volta" que inclui o sucesso "Nem Sequer Sei O Teu Nome".
Em 2003, é editada a biografia "António Calvário - A Canção de Uma Vida" da autoria do jornalista Luis Guimarães.
A comemorar 50 anos de carreira é lançado em 2008 uma compilação pela Farol com dois temas inéditos ("Cheguei estou aqui" e "Só a cantar", ambos de Ondina Santos e Vítor Talhas) e a autobiografia "Histórias da minha vida", editada pela Guerra & Paz.

FIM

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

ANTÓNIO CALVÁRIO - O REI DA RÁDIO


Com a revolução do 25 de Abril, as mentalidades mudam e António Calvário deixa de cantar nos palcos em que estava habituado, para cantar em night-clubs e cabarets. Em 1977 regressa ao teatro, no ABC, com as revistas "Põe-te na Bicha" e "Direita Volver". Da primeira resultará um grande sucesso com "Mocidade, Mocidade", da autoria de Eduardo Damas e Manuel Paião, disco que consegue chegar a Disco de Ouro. Em 1984, assinala os 25 anos de carreira como um concerto no Teatro S. Luís, em Lisboa, onde actuam nomes como Simone de Oliveira ou Tony de Matos, entre outros.
Em 1988 lança um disco com os temas "Adeus Isabel" e "Santa Luzia". Em 1996, é editado pela editora STRAUSS o CD "Oração", uma compilação de canções entre as quais estão incluídas, "Oração", "O Meu Chapéu", "Mocidade", "Alma de Boémio" ou "Pop Fado", entre outras.

CONTINUA…

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

domingo, 4 de janeiro de 2009

ANTÓNIO CALVÁRIO - ARTISTA DE CINEMA


António Calvário alcança o mesmo sucesso no cinema, estreando-se em 1964 com o filme "Uma Hora de Amor" de Augusto Fraga, ao lado de Madalena Iglésias. Em 1965 protagoniza ao lado de Tony de Matos o filme "Rapazes de Táxis". Em 1966 obtém um dos maiores sucessos do cinema português dessa década, o filme "Sarilhos de Fraldas", de novo ao lado de Madalena Iglésias. Em 1968, ao lado de Paula Ribas, protagoniza o filme de Constantino Esteves, "O Amor Desceu em Pára-quedas", e finalmente despede-se do cinema ao lado de Milú, no filme "O Diabo era o Outro".

CONTINUA...