domingo, 2 de novembro de 2008

BADARÓ - O ULTIMO ADEUS


Badaró, de seu nome próprio Manlio Hedair Badaró, nasceu em S. Paulo, no Brasil, no dia 23 de abril de 1933, tendo iniciado a sua vida artística na Rádio de S. Paulo. Devido ao êxito obtido foi chamado para o teatro, tendo pisado a ribalta, pela primeira vez, no ano de 1954, no Teatro das bandeiras, no rio de janeiro. No seu país fez teatro de revista em quase todas as salas importantes das principais cidades. Foi artista da TV Rio, Televisão Record e TV Tupi. Interpretou diversos filmes brasileiros, sobressaíndo o seu trabalho em "Simão, o Caolho"; "Colégio de Brotos", ao lado Óscarito e "A Baronesa Transviada". Foi com a revista "Fogo no Pandeiro" que badaró apareceu ao público português, e desde então radicou-se em Lisboa, tendo trabalhado em diversas revistas.
Como autor e actor, fez "Badarascope"; "Badaró 9/2"; "É Fogo Novo"; escreveu e interpretou a revista "Adão e Elas", com que reabriu o Teatro ABC.
Fez diveras "tournéss" a Guiné, Angola, Moçambique, Açores e Madeira.
Fez vários programas na rádio, tais como "Sob a luz dos Projectores" e "O Cantinho do Magriço".
Badaró faleceu, vitima de doença prolongada, na madrugada de 30 de Outubro para 1 de Novembro.

2 comentários:

isto é espetaculo disse...

FOI UM GRANDE ACTOR E HUMORISTA,UMA GRANDE SAUDADE JÁ....
CRUZAVA-ME MUITAS VEZES COM ELE NA CASA DO ARTISTA.
ABRAÇO E PARABÉNS POR ESTE NOVO BLOG EM GRANDE

Bárbara Barbosa disse...

Foi um artista notável!